terça-feira, junho 20, 2006

Marcelo, a selecção precisa de ti!

Estava eu aí há dias a ver aquele programa da RTP1 sobre o mundial, esperando ver os golos do dia, as jogadas bonitas, etc... quando de repente vejo entrar pelo estúdio adentro Marcelo Rebelo de Sousa. Pensei que fosse falar de algum dos 50 livros que tinha lido na noite passada, mas não... ia mesmo comentar as jogadas, as tácticas e as arbitragens dos jogos desse dia (este homem até tira apontamentos dos jogos!). Como se isso não bastasse ontem tive o prazer de o ouvir novamente na Antena 1, e novamente a comentar o mundial, falando das melhores coisas que estão a acontecer neste. Foi fantástico, já que conseguiu ter a perspicácia de indicar as claques, as boas arbitragens, o ambiente, e mais uma ou duas coisas que só estão ao alcance dos verdadeiros peritos do mundo da bola!
Espanta-me que os espiões do Abramovich ainda não tenham detectado este verdadeiro génio das tácticas, da gestão, da política, da música, etc... Acho que a era Mourinho pode estar a chegar ao fim, principalmente se o “Abra” quiser fazer do Chelsea uma Sociedade Recreativa, com biblioteca!
Enfim, só espero que desta vez o Madaíl seja mais rápido do que o “Abra” e consiga captar o Marcelo para seleccionador, é dele que nós precisamos... até o Ronaldo vai saber quem é o Camões!

Viva ó Marcelo!

(Marcelo a seleccionador, a Presidente da República, a Ministro da Cultura, a Presidente do Banco Europeu, ou até a engraxador... pena a Igreja não contratar comentadores para as obras de Deus e o Seu cargo estar ocupado para toda a eternidade … se não lá ia ele… com a sua frase típica: “Poisss, sabe que…” – Não, a verdade é que não sabemos, só Marcelo sabe tudo!)

domingo, junho 18, 2006

Valha-nos o senhor...

Está uma moça aki a trabalhar a estas horas, eis senão quando os meu queridos AMIGOS Benper e Bojangles me proporcionam um momento mágico... Qual seria a atitude normal de uma pessoa que está a acabar de ler artigos às 5 da matina com palitos nos olhos, e é confrontada com a imagem da sua própria pessoa começar a deitar leite pelos olhos?!?!?!?!
FDX sim, os meus queridos amiguinhos fizeram-me ter esta visão do Inferno... Eu a deitar leite dos olhos... :S :S no comments...

PORQUÊ EU?!?!?!?!?!?!

Deixem-me ir dormir.............................

****

quarta-feira, junho 14, 2006

Hoje Trovejou!

Hoje trovejou! Hoje criámos o nosso blog, O blog! Espero que este venha a ser um espaço onde "troveje" bastante, por onde passem autênticas tempestades, que nos levem a discutir desde o primo croata que trabalha numa exploração de sal no Mar Vermelho e que utiliza brocas de petróleo, à ligação de José Régio a Deus (ou não), passando pelo papel dos factores paleo-climáticos na dispersão da população ancestral das baleias francas ou simplesmente pela descrição pormenorizada daquele momento em que a Miss Cat está quase a fechar os olhos, mas… de repente… um som perturbador a desperta… uma imagem (bela, por sinal!) de um cú empacotado em suas calças salta-lhe à vista, levando ao despertar do seu sentido olfactivo que acabava de ser levemente borrifado por uma quente “ventosidade anal”!
Seria deveras interessante que nós publicássemos também algumas das nossas piadas, no entanto há o receio de a nossa vasta falange de leitores não as conseguir entender, como tal penso que é de evitar a publicação de tais Monalisas do humor. Sei que vai ser impossível não publicar algumas, porque tal seria como se Michelangelo tivesse coberto para toda a eternidade o tecto da Capela Sistina (por isso, se alguma vez não entenderem uma destas obras de arte suprema, não hesitem... perguntem!)
Basicamente, espero que, daqui a uns meses quando a Miss Cat estiver a fumar um belo charuto e com um grande sombrero, eu de kilt e a beber um agradável Lagavulin e o Benper de jardineiras, cheio de medo porque a praia é escura e a única defesa são 2 camaroeiros onde mal cabe uma mão, espero que... mesmo assim consigamos arranjar algum tempo para escrever aquilo que nos der na real gana, levando assim à loucura os milhares de fãs que rapidamente se vão começar a acumular, após consumirem estes posts como se de heroína se tratasse! (e esta é mais uma das razões que nos leva a publicar o mínimo possível das nossas piadas... a habituação quase química que elas causam... não queremos vir a ser acusados de corromper as gerações vindouras, para isso já temos o ópio do povo!)

Nota: espero que me perdoem por não falar já da nossa “separação” mas prometo falar dela, quando esta me bater mesmo forte, daqui a alguns (poucos) meses!


A um Bizarre Love Triangle!!!

Os meus dois amoriiis




Não consegui resistir a pôr umas fotos dos meninos... Olhem só que coisas mai ricas!!!!




Descubram as diferenças... No 2º ano (em cima) e agora no 4º (ao lado). Quer-me parecer que se nota uma ligeira regressão num dos elementos, mas isso é só o que eu acho... O_o eheheh
****

Quando a nostalgia aperta

Pois é, supostamente a esta hora devia estar a fazer o belo do trabalho de Ecologia com os meus queridos amiguinhos. Mas a (in)feliz ideia que não sei quem teve de criar este blog não me deixa trabalhar!! Gozo amigos, gozo. O We shall not walk alone foi a melhor invenção desde a roda, isto porque vai ser um blog cheio de amoooor, cariiiiiinho, amizaaaaaade e acima de tudo com muita coisa imprópria para consumo (muitas vezes com uma faixa a dizer "censurado" a atravessar o monitor dos leitores mais atentos). Às tantas estou enganada, e este vai ser um blog cheio de relatos deprimentes de 3 amigos que não conseguiram ultrapassar a separação a que foram sujeitos!!!! (tou cheia de moral, eu :P)
Vai ser, acima de tudo, um espaço onde vamos poder partilhar uns com os outros as aventuras e desventuras (lol) do nosso dia-a-dia, a partir daqui tão distante. Quatro aninhos a partilhar cerca de metade do dia, 5 dias por semana (por vezes mais) é muita fruta! Principalmente para mim, que tenho carregado comigo durante estes anos uma cruz tão pesada... Aturar estes dois tinha de facto de estar reservado para mim! Isto porque eu não consigo passar sem eles... Tempos difíceis se aproximam amigos, tempos em que vamos ter de passar uns sem os outros, em que vamos deixar de fazer grandes noitadas a trabalhar e a curtir as mocas de sono uns dos outros... As poucas mas boas tardadas na happy hour do beer deck na Expo... E as saídas de campo!!!! Guerras de almofadas e fotos do Bojangles a dormir de boca aberta!!!! Mas sabem o que é que me vai custar mais? É não ter ninguém para convencer (como só eu faço) a ir jogar bowlling. Isso sim, vai ser duro! ;)
Ainda faltam 2 meses para a derradeira separação (que parece que vai ser de anos!), mas as saudades dos tempos que ainda estamos a passar já começam a dar sinais. A nostalgia está aí! O facto de as saudades já começarem a apertar e ainda nos estarmos a aturar diariamente não me parece nada bem. Imagino quando chegar o dia das despedidas no aeroporto... Quais Marias Madalenas arrependidas!! Prevalece e impera a grande alegria que damos uns aos outros por estarmos a lutar pelos nossos sonhos, e por sabermos que nunca nos vamos deixar caminhar sozinhos... We shall not walk alone!

Ficam tantas coisas por dizer e tantas por inventar (by Da Weasel)... Tantas!
****

Certezas Inabaláveis


A vontade de nos separarmos é inexistente ou mesmo nula. Quando dermos por nós estará uma no méxico, outro na escócia e outro por cá. Sabemos que tudo será vivido de uma forma diferente. As saudades que vamos sentir uns dos outros será imensa, talvez do tamanho das nossas amizades. Isto são certezas inabaláveis. No entanto, existem outras certezas inabaláveis na vida. Como o facto de estarmos a trabalhar naquilo que queremos, o facto de a nossa amizade e independência sair mais reforçada após a separação, o facto de termos a opurtunidade de viver experiências de vida únicas mas acima de tudo o facto de sabermos que estaremos cá sempre uns pós outros e que o nosso "Bizarre Love Triangle" nunca será corrompido ou comprometido por uma mera separação de 6 meses.
Existem várias certezas inabaláveis na vida, temos é que saber a quais dar mais peso. Eu darei durante todo este tempo mais peso, às últimas certezas inabaláveis.

Abraços e cachaços