sábado, outubro 28, 2006

Já vais...

Segunda de manhã, mais um dos quatro tolas vai para longe durante algum tempo.
Vai cumprir a sua missão enquanto estagiário, desbravar novos horizontes da ciência e conhecer como esta é feita por lá. Tenho a certeza que as bichezas miudinhas com que vais trabalhar te vão trazer muito sucesso, espero que até mesmo uma publicação numa revista de renome. Sei que és capaz, se alguém o é, és tu!
Foi muito bom ter-te como colega de trabalho, aprendi muito contigo, ensinaste-me a nunca parar de me perguntar o porque das cosias (e sim foste tu e não o prof. de bioquímica), e por isso muito obrigado. Mas esses tempos de trabalho juntos acabaram e agora é cada um por si, a pareceria de trabalho fica para um dia mais tarde quem sabe, mas amizade essa fica, e fica bem vincada.
Colega, amigo e irmão de "longa data" desejo-te muita boa sorte, que tudo te corra pelo melhor e nunca te esqueças de ser audaz ;)
Cá te esperamos!!!!

Aquele Abraço Ramiro

terça-feira, outubro 24, 2006

Pobreza de Estado = Pobreza na Mesa

Vamos a ver se vos consigo explicar aquilo que me passou pela cabeça, quando vi há uns dias atrás, uma reportagem do jornal da noite da SIC. Estava eu a ver o belo do noticiário, que é uma das poucas coisas (in)certas que passam na televisão portuguesa, quando de repente fico estagnado, diria mesmo embasbacado, com a reportagem que se seguiu. Na dita cuja, falava-se de como os portugueses podiam poupar na comida que estes compram, não ligando ponta de corno aos prazos de validade, ou seja, caso tivessem um pacote de arroz que dissesse: “Consumir de preferência até: 21.01.07” poderiam prolongar o prazo de validade à sua vontade. Já os produtos que tem neles escritos “Consumir de preferência até: 21.01.07” esta informação deve ser respeitada já que o prazo destes já foram “esticados” ao máximo. O que isto me leva a pensar é o seguinte meus amigos, por um lado nós podemos esticar o prazo de validade de alguns produtos para poupar uns trocos, mas passamos a comê-los com as suas propriedades todas alteradas, por outro lado, alguém se encarrega de esticar o prazo dos restantes produtos ao máximo e passamos igualmente a comer comida “mais para lá do que para cá”.
Ponto de situação: Quem se lixa é o cabrão do zé povinho, que para além de ter de aturar as merdas que os nossos governos vêm a fazer há mais de 8 anos consecutivos, deitando este país no caos e num estado de sítio financeiro como nunca se viu, agora por causa das dificuldades financeiras do país, temos que “aprender” a poupar no maior bem essencial de todos, por causa destes governantes desgovernados do miolo...
Sabem que mais..BADAMERDA!!!! (Isto foi o que me passou pela cabeça..)

Abraços e cachaços

P.S – Façam como eu, assim que puderem “fujem” daqui para fora...

domingo, outubro 22, 2006

Palavras!

Ás vezes escrever é som, que com palavras lavra um cérebro ébrio de letras misturadas, enleadas no mar de Lhasa que soa a velho. Velho, não antigo, que velho cheira, sente e mente!
Quando a roda dentada das palavras que não descolam roda, verdadeiras diarreias mentais de sopas de letras escoam, ecoam da minha cabeça a meus dedos. E quando os que lêem, lêem com as palavras pegadas, as letras perdidas soam a verdade que com verdade os engana. Há um ritmo, só o som de um ritmo que segue, persegue qualquer letra que se perde!
PS.: Este post vai ser, provavelmente, o inicio de outra sequência... coisas muito estranhas podem acontecer quando eu tenho um pc á frente, depois das 2h da madrugada!
PS2.: Ficaram encantados com a imagem?! Podem agradecer a Yuko Shimizu, foi retirada do seu site!

sábado, outubro 21, 2006

A minha primeira vez..

No dia 17 de Outubro de 2006, pelas 21:45 tive uma das melhores experiências da minha vida e não, não vos vou começar a falar de coisas depravadas ou de teor sexual (não chego a tal, estejam descansados). Fala-vos sim, da primeira vez em que, com a ajuda de um tubinho (para além de outros equipamentos), que se dá pelo nome de regulador, pude experienciar o que é o mergulho autónomo ou o vulgo mergulho com garrafa.
Quem tiver a panca do mar e das bichezas marinhas como eu tenho, conseguirá calcular porque tal experiência foi tão magnífica e eufórica para mim. Pensar que daqui a pouco tempo poderei estar a mergulhar no mar, a observar tudo o que é vida marinha e não só, sem estar com pressas ou com grandes arrufos porque tenho que vir respirar à superfície é algo que anseio com um prazer enorme.
Tirar este curso de mergulho, está a ser para mim como a cereja em cima do bolo no curso de Biologia. Depois de quatro anos de marranço, que apesar de custosos me deram um gozo tremendo, já que me fizeram ver que era sem dúvida nenhuma isto que eu sempre quis seguir (se é que dúvidas restavam...), este curso está a completar de uma forma tremenda a minha instrução académica.
A minha primeira vez foi MAGNÍFICA, e a vossa?

Abraços e cachaços

Peixinhos!!!!!!! Aqui vou eu....

sexta-feira, outubro 20, 2006

Evolução, Porquê?!



Aqui está um video que nos mostra o verdadeiro propósito da evolução...

quarta-feira, outubro 18, 2006

Cada espermatozóide é sagrado!




Há blogues , como o Pharyngula, que nos mostram bons videos! Resolvi partilhar este com vocês!

segunda-feira, outubro 16, 2006

CHIQUINHA - TARRACHINHA

A minha mana hoje presenteou-me com uma das mais horripilantes músicas, cantadas em "português", que eu ouvi nos últimos tempos. Peço desculpa, mas não resisti a partilhar alguns excertos desta canção com vocês, uma espécie de incursão do kizomba na temática de Quim Barreiros e Saúl!
yo... no casamento da chiquinha com a tarrachinha
aqui estamos nesse maravilhoso boda
aqui este boda da pesada
essas damas bonitas
damas maravilhosas
(...)

hã yo
eu quero a dama dama dama que tarracha
eu quero a dama dama dama que arrasa
eu quero a dama dama dama que tarracha
eu quero a dama dama dama que quadrada
eu quero a dama dama dama que tarracha
eu quero a dama dama dama que arrasa
fui num boda hã
dancei com ela
chiquinha tarrachinha
chiquinha tarrachinha
fui num boda hã
dancei com ela
chiquinha tarrachinha
chiquinha tarrachinha
oi é pra sentirem
a tarrachinha que está a bater
ah yo
que esta a bater a nível de angola
essa tarrachinha
q esta a bater pra sentirem
yo e o "mokakai" também sente
yo e o "mopanoi" também sente
tarrachinha, a quadradinha
yo hã hã yo hã
(...)

"mokakai" também tarracha
"momento" também tarracha
o "mjk" também tarracha
(...)
fui num boda hã
dancei com ela
chiquinha tarrachinha
chiquinha tarrachinha
chiquinha ja esta a bater
chiquinha ja esta a bater
chiquinha ja esta a sentir
no gueto na city
no gueto na city
é pra sentirem ah yo
a grande tarrachinha
de qu...
PS.: Peço desculpa se algum dos versos estiver incorrecto. Informam-se os interessados que as reticências e as palavras entre aspas correspondem a momentos em que o meu cérebro não conseguiu fazer a ligação entre o som que saía do mp3 e a "língua portuguesa"!
PS2.: Peço a quem saiba, que me envie o nome do autor desta "Sonata do Kizomba", para que eu possa vasculhar melhor a obra do mesmo
PS3.: Exite uma Rádio Tarracha. Vejam em www.radiotarracha.com

domingo, outubro 08, 2006

Get in the Ring!!!

Nós portugueses, andamos sempre um pouco tristes, neste país não se passa nada e tal…
Até em Espanha houve aves com gripe, quando foi para entrar em Portugal … nada! Eu bem sei que a vacina está a demorar a chegar, mas já se constipavam! Depois atentados… também ninguém fala em nós. Da última vez que falei com o Bin sobre Portugal, a resposta dele foi:
- Figo, Cristiano Ronaldo… bóla bônita!

Eis que, quando nós estávamos a chegar ao desespero, se levanta uma nova onda: o criacionismo e o Desenho “Inteligente” estão chegando! Entraram devagarinho na Europa, por causa das declarações polémicas de alguns ministros europeus, mas agora até em Portugal já aparecem textos no Público, de um tal Jónatas Machado, apoiando de forma rídicula o criacionismo e até o Professor Ratzinger, também conhecido como Papa Bento XVI, parece vir negar a evolução orgânica das espécies.

Ainda dizem que nem as desgraças cá chegam… então esperem até a “cavalaria IDiota” invadir o nosso país, ameaçando violar as nossas mentes.

Aqui fica uma música que reflecte o meu espírito acerca de tudo isto:

Why do you look at me when you hate me
Why should I look at you
when you make me hate you too
I sense a smell of retribution in the air
I don't even understand why the fuck you even care
And I don't need your jealousy yeah
Why drag me down in your misery
And when you stare don't you think I feel it
But I'm gonna deal it back to you in spades
When I'm havin' fun ya know I can't conceal it
'Cause I know you'd never cut it in my game
Oh no
And when you're talkin' about a vasectomy
Yeah
I'll be writin' down your obituary
History
You got your bitches with the silicone injections
Crystal meth and yeast infections
Bleached blond hair, collagen lip projections
Who are you to criticize my intentions
Got your subtle manipulative devices
Just like you I got my vices
I got a thought that would be nice
I'd like to crush your head tight in my vice
Pain!!

And that goes for all you punks in the press
That want to start shit by printin' lies
Instead of the things we said
That means you
Andy Secher at Hit Parader
Circus Magazine
Mick Wall at Kerrang
Bob Guccione Jr. at Spin,
What you pissed off cuz your dad gets more pussy than you?
Fuck you
Suck my fuckin' dick
You be rippin' off the fuckin' kids
While they be payin' their hard earned money to read about the bands
They want to know about
Printin' lies startin' controversy
You wanta antagonize me
Antagonize me motherfucker
Get in the ring motherfucker
And I'll kick your bitchy little ass
Punk
I don't like you, I just hate you
I gonna kick your ass, oh yeah! oh yeah!
You may not like our integrity yeah
We built a world out of anarchy oh yeah!
And in this corner weighin in at 850 pounds,
Guns N' Roses
Get in the ring
Yeah!
Yeah this song is dedicated to
All the Guns n' fuckin' Roses fans
Who stuck with us through all the Fucking shit
And to all those opposed...
Hmm...well

Obrigado Axl e Slash por uma das músicas mais directas de sempre!

sábado, outubro 07, 2006

Happy Horror II: "Ódio carinhoso" - 1st strike on France

Penso que todos nós temos um “ódio carinhoso” por um determinado país! Esta é uma característica que se espera transversal a toda a população mundial, como tal penso que este deveria ser um dos campos a inserir no futuro “pequeno cartão-canivete suíço” (vai substituir o BI super-guerreiro em vigor desde 1 D.C.), que o governo já anunciou estar pronto lá por volta de 2050. Penso que poderíamos retirar o campo do estado civil, já que o facto de uma pessoa odiar um determinado país pode ser muito mais informativo do que um campo em que está escrito “Sol.” Para demonstrar como isto é verdade, pensem comigo. Imaginem que alguém tem um “ódio carinhoso” pelos EUA, muito provavelmente essa pessoa seria do tipo “mais uma ovelha no rebanho”. Sinceramente, ter um “ódio-carinhoso” pelos EUA é como dizer que o meu clube é a Selecção numa altura de Mundial! Ou por exemplo, imaginem que alguém odiava o Brasil, neste caso basta recorrer à lógica para desvendar um pouco mais desta pessoa! Imaginem um agente da autoridade a abordar um indivíduo numa operação de stop. O carro aproximasse. O Sr. Agente enrola o seu farto bigode, passa a mão pelo seu reluzente melão numa clara demonstração de autoridade e diz: “Os seus documentos e os da viatura, se faz favor!”, o individuo tira-os, e enquanto dá a volta ao carro, olhando para os selos, fazendo um ar de quem percebe todos os códigos dos seguros e da DGV, o Sr. Agente repara que o individuo “odeia carinhosamente” o Brasil. Aproximasse novamente da janela do carro e indica: “faça o favor de sair… ora então temos aqui um individuo de cariz homossexual! Estamos bem, estamos… cada vez há mais!” – o individuo escandalizado, responde: “o quê, Sr. Agente… Eu… Gay… olhe que não, porque é que diz isso?!”. O Sr. Agente, apalpando de novo o melão, decerto na procura da melhor altura para lhe enfiar uma naifada, tem a simpatia de explicar a sua análise: “Ora você odeia o Brasil, ora logicamente você não gosta de praia, certo?! – “certo Sr. Agente” – “Ora se você não gosta de praia, isso significa que não gosta de mulheres de bikini, logo é gay! Pode ainda não saber, mas se odeia o Brasil é lógico que seja gay!”
Esclarecidos?! Penso que sim...
No meu caso, eu “odeio carinhosamente” a França! Não tem nada a ver com futebol… penso que tudo começou quando tive de aprender francês e saía sempre das aulas a precisar de uma pastilha de mentol, e agravou-se quando estive nesse país, provei a Cuisine e senti o cheiro e o excesso piloso das suas mulheres! No caso da França, quer me parecer que os terroristas andam distraídos! Não me interpretem mal, não quero ver os franceses debaixo de um boeing 747 ou a “assar” num restaurante! Penso que existe uma clara lacuna no elenco dos terroristas dos nossos dias, claramente falta uma personagem-chave, o terrorista-humurista! Uma espécie de Bin Rock, integrado na rede dos Gato Qaeda! Imaginem um ataque dos Gato Qaeda na cidade Luz… seria fantástico. Pela calada da noite, infiltrados em Paris, os Gato Qaeda aproximavam-se da Tour Eiffel, arrancavam os seus pilares do chão e transportavam esta, outrora majestosa, estrutura através da Avenue des Chpamps-Élysées, fazendo-a atravessar, sem o auxílio de nenhum lubrificante, o imponente Arc de Triomphe de l’Étoile… digam lá se esta não é a imagem perfeita de como “fornicar” os franceses!!! Era simplesmente lindo… e se depois eles conseguissem enfiar a antena das telecomunicações da Tour no rabiosque do Le Pen… magnifico… que brilhante forma de lhe explicar a noção de “Black Power”!!!

sexta-feira, outubro 06, 2006

"Shining boobs" are sold out..

Pois é rapaziada, e quando digo “rapaziada” é porque este post só deve interessar mesmo ao pessoal que possui “bolinhas” entre as pernas.
O Verão está mesmo no seu final, sei que já estamos no Outono, mas ainda faz algum calor e como tal as nossas vistas ainda são deslumbradas por decotes de uma ousadia gritante, cinturas delineadas completamente à mostra e saias que mais parecem cintos que fariam o Nosso Senhor saltar da cruz. E como tal, apenas quero deixar aqui este aviso, aproveitem, deliciem as vossas vistas o máximo que puderem (com muito respeitinho, claro) e rezem para que as temperaturas mais baixas do nosso Outono se mantenham pelos 25 ºC, caso contrário teremos um Outono, para não falar do Inverno, muito triste e sem “alegria” nenhuma…Nem o Natal nos safará!!!!
Aproveitem cambada !!!!

Abraços e cachaços


P.S. – Mansa, não fiques com medo que não ponho aqui nenhuma foto das tuas shining boobs,ok? ;)

quinta-feira, outubro 05, 2006

Coisas estranhas

Aproveitando o embalo do post anterior, e já que o “autocarro” teima em não encher (única altura em que pode sair da “estação”), vou partilhar com vocês algumas coisas que nestes dias me têm tirado do sério.
Primeiro dia em Sisal, é hora do almoço e perguntam-me: “Oye Cat, quieres venir a comer lo pollo de D. Geni? No tiene chile y esta riquisimo!” Não estão bem a ver a minha cara de cu ao me perguntarem se quero comer o pollo da Sra.... Acho que o mínimo seria um pouco de respeito pelas gerações séniores, até porque a senhora é altamente! Isto, Bojangles, é por tua culpa! Sim, por me perguntares tantas vezes se quero comer tu pollo!!!!
Outra coisa que me inquietou bastante foi passar por uma casa no centro de Mérida num destes dias, uma casa que seria perfeitamente normal não fosse um escrito numa das paredes com a seguinte frase: “Se ponen pilas”. Fdx... Eu ja tinha reparado que por cá eles põe pilas assim na boa, mas acho que há limites de publicidade... Óbvio que uma pila não é mais que uma pilha, como me disse o Man depois de o ter chamado para tirar a foto à dita parede! Eheheh
Bem, passando à cena seguinte. Este domingo fui dar um passeio de bicicleta com 5 amigos pelos mangais aqui de Sisal, em busca de crocodilos, e à noite fomos ver um filme a casa do Andrés. Correu tudo muito bem, quase apanhavamos uma insolação e ficamos sem água, mas vimos um crocodilo! Depois do filme o Andrés chama-me e faz-me uma pergunta que me fez gelar: “Quieres una queca?” ... Sim, assim sem mais nem menos disse que me dava uma queca! Os colegas da Unidade que estavam lá puseram-se a olhar para mim com expressões risonhas, na expectativa da minha resposta. Epah... Desatei-me a rir e eles com cara de cu a olhar para mim!! Claro está que não demorei muito a perceber que o que ele me estava a oferecer não era uma queca à portuguesa, mas sim uma queca à mexicana. Fiquei tão vermelha que também eles perceberam que algo não estava bem, e explicaram-me que uma queca não é mais que uma Quesadilla, ou seja uma tortilha de queijo. LOOOOL!!!! Como devem imaginar, depois foi a minha vez que explicar como são as quecas à portuguesa... Bem, ainda me rio sozinha a pensar na minha cara de parva a olhar para o Andrés, ao mesmo tempo que pensava “Fdx, não podias ter esperado que as pessoas saíssem? Tinhas mesmo de perguntar essa merda agora????”. Que moca do caraças....................!
Bem, o “autocarro” já está a “andar” e entretanto já não consigo descodificar o que estou a escrever porque está tudo tremido...
Espero ter mais coisas estranhas para contar brevemente!


P.S. – Peço desculpa pela quantidade de aspas em algumas circunstâncias, mas considero injusto tratar certas coisas daqui pelos mesmos nomes de Portugal, já que existem umas “ligeiras” diferenças em alguns conceitos.


****

O desespero

Estava eu num contexto perfeitamente científico (num táxi, cujo taxista se encontrava perdido, a tentar encontrar o laboratório da CINVESTAV algures na periferia de Mérida), quando algo me invade o espírito: a magia do mais puro som pimba mexicano. Ao contrário do que possa parecer eu não estou a gozar, neste cenário é mesmo tudo científico. Ora vejamos: eu busco um laboratório para me encontrar com um investigador que vai colaborar comigo, num táxi cujo motorista palita minuciosamente os dentes com a unha do mindinho e que, quando parados num semáforo faz questão de analisar quase microscópicamente os detritos que heroicamente consegue sacar do meio dos seus dentes. Entretanto já me perdi na história (lol). Estava no contexto científico. O que é que falta? A bela da música. Sim amigos, a própria música estava no contexto mencionado. Analisemos o pouco do refrão que consegui ouvir antes de entrar em paranóia: “Tu tienes todo. Si me siento en ti! Entre cada átomo, entre cada célula viva... Eres tuuuuuuuuuu!!!!!!!” in “Tu”, Noelia. Comentários...???? Além deste post (que escrevo em tom de vénia e como um muito obrigado à pimbalhada mexicana por enveredar por um caminho tão nobre quanto a ciência), tudo o que tenho a dizer é “FDX, que a puta da música não me sai da cabeça!!!!!! Esta é a prova de que isto se trata de pimbalhada da melhor qualidade. Penso que, tal como eu, toda a comunidade científica deveria fazer uma vénia à Noelia e a génios como ela, por terem encontrado uma forma tão eficaz de fazer chegar uma mensagem científica (qualquer que seja) a todas as criaturas sem miolo que ouvem esta merda.
Não teço qualquer outro tipo de comentário, penso que não há muito mais a dizer... Aliás, já perdi tempo de mais a escrever sobre isto. Peço desculpa por partilhar isto com vocês, mas estou à espera que o “autocarro” (lol) saia da “estação” (lool) e a puta da música teima em não me sair da cabeça!!!!

É desta que piro... :S

****

Para vocês

Num cenário completamente diferente e com pessoas tão diferentes quanto o cenário, dou por mim a divagar... A contemplar este pôr do sol magnífico penso onde é que está o que me pertence. Benper, Bojangles e Mansa. Sim, vocês. São das coisas mais preciosas que tenho, que me pertence, e que não pude trazer comigo. Com este pensamento, o entardecer parece perder beleza e torna-se impossível conter a lágrima que insiste em cair...
O stress dos trabalhos, a alegria das secantes aulas (algumas), as saídas nocturnas, as saídas de campo, as zangas, os momentos de pura violência doméstica, as noites dormidas na mesma cama (treta, foi só uma :S ;) )... Os sorrisos estampados nas nossas caras no reencontro depois de mais uma temporada de férias sem nos vermos... Os olhares desesperados depois de uma noite passada a trabalhar (ou duas ou três seguidinhas)... Tudo. Tenho saudades de tudo. Este é o meu 37º dia por aqui e poucas foram as noites em que não revi as nossas fotos e em que não revivi alguns dos nossos melhores momentos. Digo melhores porque de há uns dias para cá não me lembro de nada de mal que esteja associado a vocês.
É entrar na água para mais um mergulho e pensar “É desta que vejo um tubarão, onde estás Benper?”. É ter um qualquer pensamento estúpido ou de merda e fico logo naquela “Porque é que não posso dar ao Bojangles o prazer de partilhar este pensamento de merda com ele?”. É passar um ganda pedaço por mim na rua, e instintivamente “Uauuuuu! Mansa onde é que andas?!?!?!?!”. Quero-vos aqui...
Chega a uma altura em que saber que estão comigo em pensamento parece não ser suficiente... Quero um abraço. Quero um beijo. Quero partilhar com vocês as sensações e tudo o que estou a viver aqui...
A sensação de saber o que é sentir a falta de alguém é tão ilusória...

O insubstituível: vocês.
O inesquecível: todos os momentos que passámos juntos.

Sei que estão à minha espera e isso faz-me feliz!

We won’t ever walk alone. Ever.

LuvYa!!!!!!!!!!


****